Wilson Vieira Filho - Nascido em 25 de agosto de 1960,  filho de  Wilson Vieira  e de Arlete de Souza Vieira,  é casado e pai de dois filhos. Em 1983 fundou a Associação de Capoeira Unido Pela Arte.

 

Mestre Vieira nos anos 70 por gostar muito de esportes, praticava Karate e encontrava-se na faixa amarela. Um certo dia, em 1977, estava em uma capela em São João de Meriti e decidiu sair um pouco daquele local para caminhar com um colega. Ao passar pela Av. Nossa Sª das graças, ouviu um som bacana e cadenciado vindo de um sobrado e Vieira decidiu subir e vêr do que se tratava. Ao chegar no 2º piso, deparou-se com uma roda de capoeira e ficou surpreso e encantado, até mesmo pelo espírito patriota que o local apresentava. Haja vista a bandeira do Brasil localizada nos fundos onde acontecia uma roda de capoeira. Vieira se identificou tanto com a capoeira que após o treinamento de Karate, que praticava em uma escola em Vilar dos Teles, fazia movimentos de capoeira com um colega de infância de apelido Calú. Vieira se deslocava de Vilar dos Teles até o bairro chamado Calundu e juntos com outros colegas gostava de nadar em um local chamado de quadrado, no bairro Lote XV, e lá Vieira passava um pouco do conhecimento de Karate que aprendia com seu professor e treinava movimentos de capoeira com o colega. Foi assim que Vieira conheceu a capoeira que logo entrou no coração, até porque ele achou bem melhor a didática de ensino falada em nossa própria língua. Foi então que Vieira iniciou na capoeira acadêmica com o Mestre Raimundo Filho, em Duque de Caxias na Associação de Capoeira Josias da Silva.
Era com orgulho que Vieira vestia o uniforme com camiseta branca e calça marrom com listas laterais na cor amarela. Ao passar do tempo, Vieira foi transferido do serviço e não conseguiu conciliar o trabalho e a capoeira, devido à distância, tendo que deixar de treinar na academia Budô com o mestre Raimundo. Para não parar com a capoeira Vieira passou a treinar na praça da Bandeira, com o mestre Canelinha que também pertencia ao grupo Josias da Silva.
Após receber a graduação de instrutor, (na época: Amarelo e Azul), Vieira passou a administrar aulas e participar de eventos. Nessa época a capoeira na baixada fluminense estava no auge, porém, mais uma vez o destino fala mais alto na vida do mestre Vieira e com o passar do tempo, por motivos particulares, o mestre Canela ficou um período sem administrar aulas.
Foi então que Vieira decidiu a administrar aulas em sua casa, chegando a ter aproximadamente 130 alunos, até porque era instrutor e administrava aulas de graça para o pessoal mais carentes pelo gosto de ensinar e pelo amor a capoeira. Teve uma época que Vieira encontrava-se de férias e passou a freqüentar aulas com o mestre Raimundo em uma academia em Austin onde, a pedido do mestre, Vieira administraria aulas e faria um estágio para o cordel azul (na época professor), porém, após conversar com o mestre e mostrar que não poderia assumir a responsabilidade e a honra recebida, em razão das férias estar terminando e não teria como Vieira administrar aulas pela manhã para as crianças e a noite para os adultos.
Ao longo do tempo Vieira conheceu o instrutor Sema (Luiz Cláudio) , hoje mestre Amorzinho e passaram a administrar aulas juntos. Foi então que Vieira decidiu dar nome ao grupo que no início chamar-se-ia: "Grupo de Capoeira Sagitário", o qual trazia o símbolo do signo sagitário, porém, com um berimbau no lugar do arco-frecha e um atabaque na pata direita do desenho do minotauro, porém , Vieira queria algo que em poucos detalhes representasse o Brasil e a capoeira, foi então que ele deu o nome: “Grupo de Capoeira Unidos Pela Arte", que trás duas mãos unidas, uma na cor branca representando a paz, outra na cor negra representando o escravo e a união em geral. As cores verde e amarelo vem representando o Brasil, sendo o amarelo representando o ouro, o verde as matas e o berimbau simboliza a capoeira.
Administramos aulas por um tempo e por falta de espaço paramos com as aulas e passamos a "correr rodas" de amigos e locais onde haviam manifestações de capoeira.
Nessa nova fase, Vieira passou a correr rodas de amigos e participando na administração das aulas, até que seu amigo e compadre mestre Abreu, em 1985 lhe apresentou ao mestre Valdir Salles, onde Vieira passou a treinar com ele, participar de eventos, apresentações e adquirir o conhecimento histórico da capoeira, porém, o destino torna a se apresentar no caminho do Vieira que já formado mestre e administrando aulas na academia Artes, em São João de Meriti, mestre Salles informa aos seus discípulos que estava de partida para Ubá (minas gerais), com o mestre Sabatine.Vieira continuou a administrar aulas na academia Artes e em 1990 apresentou e passou as aulas para o comando do contra-mestre Marquinho e decidiu continuar, sem a filiação da Associação de Capoeira Valdir Salles, com a sua Associação de Capoeira Unidos pela Arte, acompanhado do mestre Amorzinho e de um dos seus primeiros alunos, hoje mestre Meia-lua (formado pelo mestre Vieira).
Como diz o velho ditado: "O bom filho á casa torna", Vieira retornou para o seu antigo mestre Raimundo, o qual não pretende deixar.
Em sua trajetória na capoeira mestre Vieira participou de congressos, palestras, promovendo e participando de diversas apresentações de capoeira em: Colégios, Associações, quartéis, federações e universidades.
Vieira administrou aulas no espaço na antiga rua D. Pedro II - Vilar dos teles, espaço na rua Barra Mansa - Vilar dos teles, na Associação do Jardim Meriti, na quadra de moradores da Praça da Bandeira, na associação de moradores do Parque José Bonifácio, no Ciep 135 - São João de Meriti, no Colégio Líbio Garcia, em Jardim Meriti, na Academia Artes - São J. de Meriti e na Academia Budô em Duque de Caxias.
Em 1987 Vieira recebeu o cordel de contra-mestre sendo examinado pelos mestres: Valdir Salles, Dininho, Davi, Florentino, pelo saudoso mestre Medeiros e outros.
Em 1988, foi formado Mestre de Capoeira, sendo examinado pelos mestres: Valdir Salles Sabatine, Dercio, Davi, Portes, florentino e Abreu. .
Em 1997, recebeu a graduação de Mestre 2º grau pelo seu mestre Raimundo, tendo como padrinho o saudoso mestre Paulo Gomes.
Em 1998 Vieira recebeu o certificado de mestre de capoeira da Federação de Capoeira do Rio de Janeiro e em 2000 recebeu o certificado do curso de formação de capoeira, período de 1977 a 1988, pela Federação Nacional de Capoeira do Brasil. Sendo assim, reconhecido pelas principais entidades administrativas federais.
Vieira também foi reconhecido pela Casa da Cultura de São João de Meriti pelo seu coordenador, hoje deputado Sr. Jorge Florêncio, Pelos relevantes trabalhos prestados a capoeira na baixada fluminense.